04 novembro, 2013

O Lado Bom da Vida - Matthew Quick


Título: O Lado Bom da Vida
Autor: Matthew Quick
Editora: Intrínseca
Páginas: 256

Pat, acaba de sair de uma clínica psiquiátrica “o lugar ruim”, e não se lembra ao certo quanto tempo passou dentro da clínica e o motivo que o fez ir para lá.

"Me sinto motivado, não sinto tanta raiva."

Ao sair da clínica ele quer consertar as coisas e sabe que tem muito trabalho a fazer.
Ele quer fazer tudo certo, quer que o pai volte a falar com ele, quer que Nikki, sua esposa, o queira de volta acabe logo com o “tempo separados”.
Todos ao seu redor, não sabem exatamente como lidar com ele, tentam evitar falar de qualquer assunto do tempo em que Pat estava no “lugar ruim”, ou até mesmo de coisas anteriores a isso que Pat não se recorde.

"O mundo é difícil o suficiente, gente. Ele é lasca o bastante por si só. Será que ninguém pode dizer: - ei, vamos ser positivos? Vamos dar um final feliz pra história"?

Pat, tentando lidar com tudo isso, descobre que gosta de fazer exercícios e fica viciado em atividade física, faça chuva, faça sol, Pat vai estar correndo.

"A única forma de conhecer minha loucura, era fazendo uma loucura por si própria".

Um dia percebe que tem companhia.
Ao correr tem sempre uma “maluca” que corre junto com ele, ou melhor corre separado dele, Pat não gosta de companhias femininas, (o que Nikki iria pensar?) mas como ele está tentando praticar ser bom com as pessoas... não vê problema de alguém correr no mesmo horário que ele.
Todos os dias, no mesmo lugar, no mesmo horário Tifany está esperando para correr com ele, mas a uma certa distância.

Sabe, costumava pensar que você era a melhor coisa que me aconteceu mas acho agora que talvez tenha sido a pior e sinto muito por já ter te conhecido".

Por que não podemos acreditar em “finais felizes” e ver “o Lado bom da vida”?
Essa é uma pergunta que Pat faz muitas vezes no decorrer da história. E o curioso é que, ele é uma pessoa que não está no seu estado mental normal, mas ele está certo.
Pat é um personagem marcante. A forma como ele tenta recuperar a memória, apesar de não saber quais são realmente os problemas que o afetam, mas Pat quer ter sua vida de volta e luta por isso.
Essa não é uma história estranha sobre um louco, mas sim, uma história que nos mostra a capacidade de ver o “lado bom da vida”, como isso pode ajudar a superar as dificuldades.
E quando você menos espera, tudo pode dar certo.
 
A história é ótima, a escrita do Matthew Quick é maravilhosa.

3 comentários:

  1. Concordo com você a escrita e história do livro é ótima/maravilhosa. Um livro que eu recomendo muito.
    Até mais. http://realidadecaotica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Gostei bastante do livro,recomendo.

    ResponderExcluir
  3. Eu ameeeeeeei esse livro, os personagens são tão cativantes!!!!!! Pat e Tifany são demais!! Eu me irritava muito com o pai do Pat, pois todo mundo julgava o Pat mas não percebia que o pai era tão explosivo quanto. Fora isso a história é incrível! Beijos
    http://chuvacobertaelivros.blogspot.com

    ResponderExcluir