05 novembro, 2013

Percepção de Leitura

"Um mesmo livro nunca é o mesmo para duas pessoas" - Ferreira Gullar.
 
Isso é uma verdade!
Se você reler um livro, depois de um tempo pode acabar tendo uma outra percepção.
Tudo depende do momento que está vivendo, quantos anos tem, em fim diversos fatores.
Por mais que a essência do livro seja a mesma, você vai acabar "vendo" os pontos de formas distintas.
 
Se para a mesma pessoa tem toda essa mudança, imaginem só para pessoas diferentes...
 
Por isso, é legal lermos resenhas, sabermos a opinião do outro.
Não só pelo gosto de cada um, por exemplo: romance, terror, fantasia, mas por que muitas vezes, ambas as pessoas podem gostar de romance, mas vê-lo de outra forma com outra mensagem...
 
Me lembro certa vez de um texto que li para uma aula (um curso que realizei), que cada um devia falar quem era o culpado da história, mas na realidade não tinha o verdadeiro culpado. Acontece que a história dependia da percepção de cada um.
Engraçado isso, né?! Mas também pode haver questões de princípios (na minha opinião).
 
Vou deixar o texto aqui (que falei ter visto no curso), lembrando que não há certo ou errado, mas é bom para vermos como nas histórias,  cada um entende a mensagem que acha necessário, em alguns livros isso é mais visível do que em outros, geralmente de acordo com o que se está vivenciando no momento.

O Caso da Ponte
 
João era casado com Maria e se amavam.
Depois de um certo tempo, João começou a chegar cada vez mais tarde em casa.
Maria se sentiu abandonada e procurou Paulo, que morava do outro lado da ponte.
Maria voltava para casa sempre antes do marido chegar.
Um dia, quando voltava, encontrou um bandido atacando as pessoas que passavam na ponte. Ela correu de volta à casa de Paulo e pediu proteção.
Ele respondeu que não poderia ajuda-la e que o problema era dela, Ela, então, procurou um amigo. Este foi com ela até a ponte, mas acovardou - se diante do bandido e não teve coragem de enfrenta-lo.
Resolveu procurar um barqueiro mais abaixo do rio. Este aceitou leva-la por R$80,00, mas nenhum dos dois tinha dinheiro. Insistiram e imploraram, mas o barqueiro foi irredutível. Aí voltaram para a ponte e o bandido matou Maria.


Há 6 personagens na história. Coloque em ordem (decrescente).
Os mais culpados, até chegar ao 6º personagem, o menos culpado


Nenhum comentário:

Postar um comentário