30 janeiro, 2015

Resenha - O último homem do mundo - Tais Cortez

Título: O último homem do mundo
Autora: Tais Cortez
Editora: LER 
Páginas: 224

SINOPSE: O último homem do mundo - Amanda é uma garota rebelde e problemática. Filha de Patrícia Oliveira, uma atriz mundialmente famosa, ela se ressente do comportamento da mãe, que trabalha demais e dedica seu pouco tempo livre para namorar. Depois de ser expulsa dos três últimos colégios, Amanda é matriculada contra sua vontade no Educação de Elite, o colégio interno mais renomado do país, onde apenas os filhos da elite nacional estudam. Determinada a conseguir mais uma expulsão, ela é capaz das maiores loucuras, mas seus planos acabam sendo frustrados por suas colegas de quarto, por uma inspetora intrometida e um diretor paciente. Lá ela também conhece Ricardo, o garoto mais popular e mulherengo do colégio. A atração entre eles é imediata, mas isso não impede que se odeiem ferozmente e que façam de tudo para prejudicar um ao outro. No entanto, o destino os forçará a unirem forças por um bem maior, e Amanda perceberá que, às vezes, o último homem do mundo de sua consciência pode ser justamente aquele que seu coração decide escolher.

Este é aquele livro que quando você entra na livraria e se depara com ele, você sente a necessidade de pegar, abrir, folhear, e por fim leva-lo.

Amanda é uma adolescente rebelde e determinada,  filha de uma famosa atriz, Patrícia Oliveira, que por conta da agenda cheia e de seus casos amorosos, nunca tem tempo suficiente para a filha.

Para chamar cada vez mais a atenção de sua mãe, Amanda sempre está envolvida em problemas. E depois da terceira expulsão de um colégio, Patrícia decide matricular a filha no Colégio Educação de Elite, um dos melhores colégios de São Paulo, a diferença desse colégio para os demais é que os alunos só podem ir para casa aos finais de semana.  O que deixa Amanda muito mais nervosa e
determinada em conseguir a sua quarta expulsão.

"Era inaceitável que ela decidisse sobre minha vida sem considerar minha opinião, que ela estivesse feliz enquanto eu não estava. E era inaceitável que eu não fizesse algo a respeito."

Assim que chega,  Amanda já chama a atenção de todos pelo jeito de se vestir, o tom colorido dos cabelos, a maquiagem pesada e as roupas descoladas que são bem diferentes do estilo dos “riquinhos” do colégio.

Logo no primeiro dia de aula Amanda já consegue uma maneira de iniciar um plano para a sua expulsão, mas para sua surpresa será ainda mais difícil do que ela pensa.  O diretor, e suas novas colegas de quarto não pretendem facilitar e deixar que isso aconteça.

Como em todo bom colégio que se preze, no Educação de Elite tem um garoto lindo, popular, e claro, mulherengo, o Ricardo.  Enquanto todas as garotas fazem fila para ficar com ele, Amanda o quer bem distante. Ela não o suporta, suas atitudes são horríveis, Ricardo é “o ultimo homem do mundo” que ela iria querer. O ódio entre ambos é instantâneo, desde o momento em que se viram.

"Você parece ser tão superficial, idiota e egoísta, mas, as vezes, parece que é outra pessoa completamente diferente (...)"

Mas devido a uma boa causa, Amanda precisa da ajuda de Ricardo e terá que ceder um pouco, ficar mais próxima dele e deixar essa raiva de lado. Ela só não contava que enquanto ela acha que o odeia, seu coração parece estar dizendo o contrario.



Fora a capa que eu achei maravilhosa, o título foi algo que me chamou muito a atenção. Pois ele tem todo um mistério. “O Ultimo Homem do Mundo”, pode ser interpretado de formas diferente, em primeiro momento eu tinha a ideia de que fosse uma busca por este tal homem (o ultimo do mundo), mas por fim é algo contraditório, do tipo, “não posso amar este homem” o que foi uma bela surpresa.

"Os livros tinham sido meus melhores amigos por muitos tempo. Eles me permitiam fugir da realidade, viver a vida de outras pessoas e esquecer as frustrações com minha própria vida."

Adorei o fato da Amanda não ser aquela típica personagem rebelde sem causa, que irrita o leitor a cada página. A determinação e confiança em suas próprias ações foi o que eu mais gostei.

A maneira como a autora abordou um drama familiar, não apenas com a personagem central , em que os pais não tem tempo para os filhos e há a falta dialogo dentro da própria casa, foi essencial.

Uma história que te mostra à surpresa e o valor de encontrar amigos e aliados onde menos se espera, a fé das pessoas, não apenas por religião, mas sim “fé na coisa”, a determinação de uma atitude prejudicial ser transformada em uma determinação para ajudar ao próximo, e claro, o amor, da forma mais comum e inusitada ao mesmo tempo. 

"Você devia saber que eu não sou mais aquela pessoa de antes."

Todos esses aspectos, esses sentimentos, são lições maravilhosas que podem ser tiradas dessa linda história e que contribuem para que “O último homem do mundo” seja uma leitura gostosa, envolvente.


Um livro indicado para todos e em todas as idades. 

4/50

Não deixem de comentar ;)
Beijos
Dri



12 comentários:

  1. Oooi Driii!!!
    Nossaaaa q resenha incrível! Ameiiii!
    Vc realmente abordou todos os principais pontos de maneira muito assertiva e sem dar spoiler!
    Achei interessante suas impressões sobre o título rss realmente eu tenho o costume de dar títulos metafóricos para os meus livros hehe
    Obrigada pela resenha maravilhosa! Estou indo dormir com um sorriso nos lábios!
    Bjssss

    ResponderExcluir
  2. A capa dele é muito bonita, e o nome também, porém ele parece ser meio clichê na parte de a mãe ser famosa e não dar atenção para a filha. Mas fora isso me pareceu bem legal, vou ler :3 bjs

    ResponderExcluir
  3. Gostei bastante do livro, agoratenho que adimitir que a historia me lembrou muito da novela Rebelde,da Roberta,do Diego,do Elite Way School (acho que esse era o nome).Fora isso,pensei que no inicio ela era uma rebelde sem causa mesmo,ainda bem que li até o final,não é o tipo de livro que eu estou acostumada,mas só de ser nacional, já ganha pontos extras na minha visão.

    ResponderExcluir
  4. Deve ser apaixonante! Não gosto de livros em que o personagem seja cheio(a) de frescura sem nenhum motivo, realmente. Gosto daquele em que a gente pense que talvez, essa seria uma atitude nossa em relação ao que o personagem está passando. Adorei a resenha, Dri!
    xoxo
    http://thoughtsandadventuresruhhbelle.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Parece uma história bem envolvente, mas a história não me interessou muito =/
    Mas a escrita da autora parece ser muito boa.

    ResponderExcluir
  6. Oi Drii, sua resenha foi incrível, não faltou absolutamente nada para fazer com que quem a lesse pudesse ter uma opinião concreta sobre comprar ou não, sem dúvidas acho q a maioria deve optar por levar, só peço desculpas por não ter participado assiduamente do top comentarista do blog, infelizmente imprevistos acontecem :(

    ResponderExcluir
  7. Olá, tudo bom?
    Adorei a sua resenha, li os primeiro capítulos do livro, tenho ele no meu celular, fico feliz que tenha gostado do livro, e que eu em breve pretendo ler o livro.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  8. Já conheço a escrita da Tais, apesar de não ter lido esse livro em especial. Li Golfinhos e Tubarões e adorei.
    A premissa desse livro em particular parece excelente. E tenho certeza que os personagens são incríveis. Futuramente vou querer ler.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de janeiro. Você escolhe o livro que quer ganhar!

    ResponderExcluir
  9. Ainda não li o livro, mas estou participando do Book tour e lerei em breve. Bom saber que a leitura é tudo isso e que nos envolve completamente

    ResponderExcluir
  10. Parece ser um ótimo livro, fiquei curiosa e acho que vou ler. Beijos!

    http://livro-apaixonado.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Ainda não li! Achei legal, não vejo mais clichês adolescentes hoje em dia! Vou ler!
    xoxo
    http://fingereamor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Achei interessante o enredo. Coisas que acontecem mesmo no dia-a-dia de uma família. Quando li o título imaginei mesmo que fosse uma "mulher" que odiasse um "homem", sendo este o ultimo homem do mundo ao qual ela se relacionaria, mas não imaginei se fosse no meio juvenil e com um drama familiar envolvido. Já está na minha lista de próximas leituras! Bjs

    ResponderExcluir